Novo artigo na Ação Midiática

Acaba de sair o dossiê “O que é um meio? Perspectivas teórico-filosóficas”, organizado pelo pesquisador Maurício Liesen (UFPR), editor convidado para este número. O editorial assim apresenta o trabalho:

“Os sete textos reunidos neste dossiê enfrentam este paradoxo inerente à figuração e definição de meio a partir de diferentes abordagens e tradições. As perspectivas teórico-filosóficas apresentadas aqui não apenas desdobram os significados do próprio conceito e seus derivados (meio, mídia, médium, mass media), como também atuam em uma lacuna existente entre as Ciências da Comunicação praticadas no Brasil e os Estudos de Mídia desenvolvi-dos em outros países. Logo, este dossiê também pode ser lido como uma pequena amostragem da recepção acadêmica nacional dos debates transnacionais em torno de uma ciência/teoria/filosofia dos meios. Talvez porque os meios estejam estruturalmente destinados à própria desaparição, o debate teórico sobre suas especificidades tenha ficado à margem durante a institucionalização no Brasil das Teorias da Comunicação, muito mais preocupadas com processos ou efeitos comunicacionais dos meios massivos de informação. Para além da sedimentada noção de meio apenas como um instrumento técnico de registro, transformação e transmissão, os Estudos de Mídia e, mais recentemente, a Filosofia dos Meios, nos ensinam que o conceito de meio possui uma longa tradição na história do pensamento.”

A edição abre com o texto “O que é filosofia dos meios?”, do filósofo alemão Lorenz Engell, e segue com uma série de trabalhos que abordam perspectivas bem diversas. Finalmente, culminamos na abordagem teórica original proposta por Luciana de Oliveira e Bárbara Regina, repensando os conceitos de meio e mediação a partir de tradições e teorias contra-coloniais. É um dossiê para ler “de capa a capa”. Abaixo, estão os detalhes da minha contribuição.

Reflexões e reflexos a partir da perspectiva mídio-filosófica de S. Krämer

Resumo: Este artigo apresenta alguns aspectos do pensamento de Sybille Krämer no contexto da filosofia dos meios em língua alemã, articulando-os ao trabalho de outros autores. O objetivo é revelar as particularidades da perspectiva do médium como mensageiro desenvolvida pela filósofa, ao mesmo tempo em que se joga luz sobre como outros pensadores concebem as questões levantadas – especialmente no que diz respeito a comunicação e percepção, entendimento e transmissão, transparência e opacidade, além do apriorismo dos meios.

Palavra-chave: Filosofia dos meios; Teoria da mídia; Determinismo tecnológico

———–

Acesso no site da Ação Midiática.

Ou baixe aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s